LUTO PELA REFORMA TRABALHISTA

Gleisi Hoffmann (PT/PR): "O que aconteceu envergonha a nação."

Renan Calheios (PMDB/AL): "Desmonte do Estado social"

Paulo Paim (PT/RS): "Uma parte de mim morre hoje"

Lindbergh Farias (RJ). "O trabalho intermitente é uma nova forma de escravidão."

João Capiberipe (PSB-AP): "Esta reforma trabalhista não tem uma vírgula a favor do trabalhador"

O plenário do Senado aprovou o projeto de lei (PLC 38) de "reforma" da legislação trabalhista. Foram 50 votos a favor e 26 contrários, com uma abstenção. A votação foi concluída por volta das 19h50. Conforme queria o governo, o texto foi aprovado sem mudanças.

Esta reforma é para diminuir a rede de proteção social e precarizar as condições de trabalho. Este projeto não vai criar empregos, e sim subempregos. Do ponto de vista da representação política, este talvez seja o "pior momento" do Congresso Nacional.

O SINDAUT REPUDIA VEEMENTEMENTE OS CONGRESSISTAS QUE LEVARAM ADIANTE O FIM DA CLT.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS

20 Julho 2017

Trabalhadores da Soerensen Garcia aprovam proposta de Banco de Horas da Empresa Em assembl...

14 Julho 2017

REFORMA OFICIALIZA FRAUDE, DIZ PROCURADOR-GERAL DO TRABALHO A reforma trabalhista sanciona...

13 Julho 2017

O governo ainda poderá editar uma Medida Provisória com novas alterações na lei trabalhist...

13 Julho 2017

REFORMA TRABALHISTA AFETARÁ APENAS NOVOS CONTRATOS Regras de texto aprovado no Senado nest...

12 Julho 2017

Senado aprova texto-base da reforma trabalhista Da Agência Senado Com 50 votos favoráveis,...