PÁGINA INICIAL

28/03/2017 - SINDICATO PATRONAL NÃO COMPARECE A AUDIÊNCIA DE CONCILIAÇÃO NO MINISTÉRIO DO TRABALHO

O Sindicato patronal não compareceu a audiência de conciliação marcada para ontem, dia 28/03, segunda feira, no Ministério do Trabalho. O Ministério do Trabalho registrou em ata a ausência do Sindicato patronal.

Os diretores do SINDAUT se reuniram, ontem mesmo, com o representante das empresas, no intuito de reabrir as negociações. Hoje o SINDAUT apresentará outra proposta para solucionar o problema. 

                   ..................................................................................................

22/03/17 - MARCADA MESA REDONDA ENTRE SINDICATO DOS TRABALHADORES (SINDAUT) E O SINDICATO PATRONAL

A mesa redonda será realizada no próximo dia 27 de março, segunda feira, às 9h no edifício do Ministério do Trabalho.

                   ..................................................................................................

20/03/17 - CAMPANHA SALARIAL 2017: FALTA DE ACORDO EMPERRA NEGOCIAÇÕES

A pouca flexibilidade da direção do Sindicato das Empresas de Assessoramento, do Município do Rio continua emperrando o desfecho da Campanha Salarial iniciada em dezembro de 2016. Na ocasião, foi feita assembléia, quando os trabalhadores aprovaram a pauta de reivindicações para ser levada ao sindicato patronal.  Alguns pontos da pauta, como reajuste salarial e reajuste no tíquete refeição, já estão alinhavados (reajuste salarial de 5,5%). Outras cláusulas ainda estão em discussão.

A direção do SINDAUT não esconde a frustração pela intransigência do Sindicato patronal, que engessa a negociação salarial, que continuará, até que se chegue a um denominador comum, que satisfaça as partes. As informações serão atualizadas assim que as negociações avancem.

                   ..................................................................................................


22/02/17 - TRABALHADORES AUTORIZAM SINDAUT ASSINAR A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

 -- NEGOCIAÇÃO CONTINUA --

            Em assembléia realizada nesta quarta feira, dia 22 de fevereiro, na sede do Sindicato, os trabalhadores autorizaram o SINDAUT a continuar com a negociação com sindicato patronal até que se chegue a um denominador comum referente ao reajuste salarial e demais cláusulas da proposta.

            Até agora o sindicato patronal ofereceu reajuste salarial de 5,5% e o reajuste no tíquete alimentação de 8,5%. Outras cláusulas ainda estão em debate. A diretoria do SINDAUT avalia que deve haver ganho real no reajuste salarial e acredita no bom senso dos empresários na próxima reunião.

            Fernando Bandeira, presidente do SINDAUT, agradeceu à categoria a autorização para assinatura da CCT, ouviu as ponderações dos trabalhadores na assembléia  e garantiu que a negociação vai continuar. Lembrou que nos últimos 5 anos a categoria teve conquistas sociais como também avanços nas cláusulas econômicas. “No período de cinco anos nunca saímos de uma campanha salarial em que o índice de reajuste fosse menor que a inflação”, ressaltou Bandeira.

            O Sindicato ainda luta para que sejam aprovados alguns pontos da pauta apresentados pelos trabalhadores como  licença maternidade e paternidade conforme a lei 13.257/2016; Obrigatoriedade de cumprimento da CCT a partir da assinatura entre o sindicato patronal e laboral, independentemente do registro no Ministério do Trabalho e tíquete refeição do trabalhador durante o período de férias.

 
         ---------------------------------------------------------------------------------------------


SAIU O REAJUSTE: 5,5% RETROATIVO A FEVEREIRO

SAIU O REAJUSTE: 5,5% RETROATIVO A FEVEREIRO

 

Os empregados de agentes autônomos do comércio e em empresas de assessoramento, perícias, informações e pesquisa no município do Rio de Janeiro terão os salários reajustados em 5,5% – acima da inflação do período, entre fevereiro de 2016 e janeiro de 2017. As empresas têm que fazer o pagamento retroativo a 1º de fevereiro, data base da categoria.

O Auxílio Alimentação/Refeição subiu para R$ 19,50 por dia efetivamente trabalhado, com a redução do desconto no contracheque em no máximo  15%.

Em tempos de aguda crise econômica, O SINDAUT conseguiu junto ao sindicato patronal, não só repor as perdas com a inflação, mas ter um pequeno ganho real de 0,4%. A Convenção Coletiva de trabalho foi assinada dia 18 de abril de 2017. O piso 1 (Contínuos, serventes, faxineiros, auxiliares de portaria, auxiliares de serviços gerais e assemelhados) subiu de R$ 1.061,80 para R$ 1. 138,00, e o piso 2 ( Funções administrativas e demais não enquadradas no piso 1) passou de R$ 1.100,75 para R$ 1.180,00.

Quebra de caixa também foi reajustada

A Convenção Coletiva prevê ainda reajustes de benefícios como a Gratificação de Quebra de Caixa para os empregados que lidam com valores da empresa superior ao piso 1, ou seja, acima de R$ 1.138,00. Esse trabalhador terá uma gratificação mensal de R$ 179,00, substituindo o valor anterior de R$ 170,00.

Esta Convenção Coletiva de Trabalho já está em vigor e vale até janeiro de 2018.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

20 Abril 2017

UM DIA APÓS DERROTA DO GOVERNO, CÂMARA APROVA URGÊNCIA DA REFORMA TRABALHISTA Votação cheg...

20 Abril 2017

Normal 0 21 false false false PT-BR X-NONE X-NONE MicrosoftInternetExplorer4 SAIU O REAJUS...

19 Abril 2017

Reforma terá idade mínima de 62 anos para mulher se aposentar Andreia Verdélio e Yara Aqui...

17 Abril 2017

ASSOCIAÇÃO DE PROCURADORES PEDE REJEIÇÃO DE TEXTO       &nbs...

13 Abril 2017

        A reforma trabalhista proposta pelo governo Tem...