DIRETOR-GERAL DO OBSERVATÓRIO SINDICAL DENUNCIA EXPLORAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA

Segundo o diretor-geral do Observatório Sindical Clodesmidt Riani (OSCR), Sebastião Soares, que também é diretor de Formação Sindical da Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST),  as Cadeias Produtivas Globais (CPGs) resultam da mundialização da economia capitalista no processo em que as empresas exploram trabalhadores e trabalhadoras sem qualquer regulamentação, com vistas a reduzir custos e obter o máximo de vantagens em diversas áreas: trabalhista, tributária, comercial etc.”

A BUSCA CONTÍNUA DO LUCRO CRESCENTE

Isto avança sobre os países na busca contínua de lucros crescentes, forçando os seus contratados a se sujeitarem a trabalhos precários, com redução e supressão de direitos, arrochos salariais e péssimas condições no ambiente de trabalho, o que se agrava com a crise mundial do capital.

DEFINIÇÃO DE LEGISLAÇÃO NACIONAL E INTERNACIONAL E COMBATE A AUTO REGULAÇÃO

Sebastião Soares afirma que o Observatório Sindical está atento ao problema e considera fundamental a definição de legislação, nacional e internacional, para combater essa fraude laboral.

Mas, por outro lado, o movimento sindical precisa fazer a sua para enfrentar estas forças do capital, cujo procedimento operativo é a supremacia da racionalidade econômica da eficiência sobre o padrão de racionalidade jurídica da legalidade. Com isso, se estabelece um vale-tudo que submete os estados nacionais à lógica produtiva e comercial dos conglomerados, destruindo marcos regulatórios de proteção ao trabalho, impondo modelos de auto regulação das próprias empresas em detrimento dos direitos das classes trabalhadoras.

CONTRATO INTERMITENTE: JORNADA CRIMINOSA

Vale ressaltar, de acordo com Sebastião Soares, que, recentemente, a Nova Central participou de luta acirrada na defesa de trabalhadores e trabalhadoras da cadeia McDonald´s, em São Paulo, denunciando a jornada criminosa de trabalho a que eram submetidos os funcionários (as). Desta ação resultou uma multa de mais de R$ 40 milhões à empresa e serviu de exemplos para outros países. Porém, com Reforma Trabalhista do Governo Temer, conformada na Lei 13.4367/2017, foi inserido dispositivo, denominado “Emenda McDonald´s” que legalizou o trabalho intermitente e a jornada criminosa, como resultado da pressão desse conglomerado empresarial.


Por Sebastião Soares.

* Sebastião Soares é diretor de Formação Sindical da Nova Central Sindical de Trabalhadores - NCST

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Ao contrário do que afirmavam os apoiadores da “reforma” trabalhista, do governo de Michel Temer, o contrato intermitente não criou “milhões de empregos” Brasil de Fato - Dados do Boletim Emprego em P...
Foi publicado no Diário oficial da União (DOU), em 14/01/20 seção 1, pag. 7, a Portaria nº 950, de 13 de janeiro de 2020, do Ministério da Economia/Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, que e...
Os trabalhadores precisam reagir para defender os seus direitos, pois o piso é muito importante para milhares de trabalhadores que não tem convenção ou acordos coletivos e portanto não possuir meios d...
Em nota técnica publicada em seu site, o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos) faz dura crítica à interrupção da “política de valorização do salário mínimo”, que vinh...
Com resultado do INPC de dezembro, reajuste do salário mínimo fica abaixo da inflação INPC serve de base para correção do mínimo e, segundo IBGE, ficou em 4,48% em 2019; com isso, valor deveria chegar...